115083-4949 | 115083-5155 | 115539-1636 | 115083-4308 | 115082-2939 | 123600-8121 | 1298262-1044

Contabilidade para cirurgiões dentistas

A gestão de uma clínica demanda atenção, disciplina e conhecimentos que não são abordados nos cursos de odontologia na maioria das faculdades do país. Elaborar um planejamento tributário é fundamental nesse processo. Não há como exercer a atividade profissional de forma correta sem conhecer a legislação e sem saber a melhor e mais econômica forma de se trabalhar. Atualmente existem diversos modelos tributários que o profissional pode optar em trabalhar.
Uma das principais dúvidas é saber o que é mais compensador – criar uma Pessoa Jurídica ou trabalhar como Pessoa Física?

Essa escolha depende da análise de algumas situações como: faturamento, despesas e quantidade de funcionários. O profissional que optar em atuar como Pessoa Física precisa fazer alguns procedimentos para andar em dia com suas obrigações fiscais. Ele será tributado segundo a tabela progressiva do Imposto de Renda.

Base de Cálculo (R$)

Até 1.903,98

De 1.903,99 até 2.826,65

De 2.826,65 até 3.751,05

De 3.751,06 até 4.664,68

Acima até 4.664,68

Alíquota

7,5

15

22,5

27,5

Parcela a deduzir do IR (em R$)

142,80

354,80

636,13

869,36

É necessária a escrituração do livro-caixa, onde são lançadas mês a mês todas as receitas e despesas além de ter que informar o CPF do responsável pelo pagamento e o CPF do beneficiário do serviço. O livro-caixa escriturado é o documento oficial que o profissional deverá apresentar para a Receita Federal caso caia em alguma malha fina. Existem várias despesas dedutíveis no livro-caixa que podem reduzir o lucro tributável, como aluguel, folha de pagamento de funcionários, contas de energia, água, telefone, pagamentos ao INSS, material de escritório, material odontológico, laboratórios de próteses, dentistas prestadores de serviços entre outras.

A maioria dos profissionais autônomos não faz o livro-caixa e muitas vezes acabam pagando mais impostos além de multas pelo não recolhimento na data correta.

Modelos de empresa e de tributação

No momento de abrir uma empresa de atividade odontológica e criar uma pessoa jurídica, os profissionais têm algumas opções de modelos: Empresário individual, sociedade simples ou sociedade empresária.

O empresário individual é o modelo que o profissional é sozinho e responde solidariamente pelas obrigações da empresa. E a sociedade é quando existe a figura de mais uma pessoa em que a responsabilidade é proporcional às quotas de capital social.

As sociedades em alguns municípios, quando formadas por dois profissionais que exercem a mesma atividade fim, podem usufruir do benefício do ISS (imposto sobre serviços) um valor fixo recolhido a cada três meses. Ao ponto que a sociedade empresária constituída por profissionais de atividades distintas o valor do ISS é cobrado por cada nota fiscal emitida com uma variação de 2% a 5%.

Uma vez constituída a empresa com contrato social e os devidos registros em junta comercial ou cartório, o empresário, com auxilio de um assessor contábil, deverá selecionar a forma de tributação. Dentre elas temos o Lucro Presumido e o Simples Nacional.

O Lucro Presumido é vantajoso para empresas que possuam poucos custos operacionais e baixas despesas com funcionários. A alíquota de tributação de pessoas jurídicas que optam por esse regime gira em torno de 15% do total do faturamento.

O Simples Nacional é um regime tributário criado com o objetivo de simplificar o pagamento de tributos por Microempresa. Nela estão incluídos impostos federais como o IRPJ (Imposto e Renda de Pessoa Jurídica), a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido), o PIS (Programas de Integração Social), a COFINS (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e a CPP (Contribuição Previdenciária Patronal).
A decisão entre um regime ou outro é feita através de simulações baseadas em critérios contábeis.
Resumindo
Pessoa física: Livro caixa

  • DARF mensal (7,5% a 27,5%)
  • INSS mensal (20%)

Pessoa jurídica: Empresário individual ou Sociedades

  • Lucro presumido (15%)
  • Simples Nacional (14,93%)

Ajuste anual de imposto de renda

Na hora de declarar o Imposto de Renda é importante saber em quais casos é melhor optar pela declaração simples e em quais situações a declaração completa é mais vantajosa. A declaração completa é mais compensadora quando as despesas são altas com dependentes, com educação, com aluguéis e etc. Quando as despesas dedutíveis são poucas, aí é melhor optar pela declaração simplificada, que concede um desconto de 20% sobre o total de rendimentos tributáveis.

A economia dos consultórios

Os profissionais da Odontologia têm dificuldades no planejamento tributário e na administração financeira de sua clínica. Essa dificuldade acaba fazendo com que esses profissionais paguem impostos em excesso. Em muitos casos uma simples simulação pode gerar uma economia grandiosa. Nesse caso, o melhor é seguir as orientações de assessores especializados em contabilidade e administração financeira.

Dúvidas: helpdocsp@gmail.com / contabil@helpdoc.com.br | Whatsapp: 11 – 94118-1732